Ação no MP-SP pede cassação do PT por ligações com PCC

A estrela vermelha decadente.

 

Lei brasileira prevê cassação do registro de partido político envolvido com o crime

 

O diretor da Associação dos Assessores de Investimentos Livres (AIS) de São Paulo, José Gustavo Araújo, protocolou denúncia-crime junto ao Ministério Público de São Paulo (MP-SP) a partir das revelações da delação premiada do publicitário Marcos Valério à Polícia Federal, publicadas pela revista Veja no dia 1⁰ de julho, em que o operador do PT no esquema de compra de votos de parlamentares por meio do pagamento de mesadas, durante o governo Lula –  que ficou conhecido como “Mensalão” – detalha as relações do PT com a organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

José Eduardo Araújo, diretor da Associação dos Investidores (AIs) (Foto: Reprodução)

Citando trechos da denúncia de Marcos Valério, que revelou à Polícia Federal como o dinheiro do narcotráfico era captado e depois lavado por meio de bingos, até chegar “legalizado” ao Partido dos Trabalhadores na forma de doações para financiar campanhas petistas, o documento protocolado junto ao MP-SP pede a impugnação imediata de todos os candidatos do partido nas eleições deste ano e a cassação definitiva do registro do partido político por envolvimento com o crime organizado.

Marcos Valério na Polícia Federal (Reprodução/YouTube)

O pedido de cassação ocorre poucas semanas depois da notícia de que o contador ligado a Lula lavou R$ 16 milhões para o PCC em loterias.

‘Diálogos cabulosos’

No dia 16 de junho, a 1ª Vara de Crimes Tributários, Organização Criminosa e Lavagem de Dinheiro de São Paulo decretou o sequestro dos bens do contador João Muniz Leite, ligado ao pré-candidato à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Leite foi o contador responsável pelas declarações de Imposto de Renda do ex-presidente entre os anos de 2013 e 2016.

Contador fazia IR de Lula.

Muniz e a esposa são investigados pelo Departamento Estadual de Investigações sobre Narcóticos (Denarc) de São Paulo, por indícios de lavagem de dinheiro para a facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Muniz e a esposa ganharam 55 vezes em loterias federais somente em 2021.

Denarc-SP afirma que ex-contador de Lula lavou milhões do PCC. (Reprodução Redes Sociais)

Jogar grandes valores de origem ilícita em loterias, para ganhar premiações de montantes menores que os gastos com as apostas, é uma forma de “lavar” dinheiro de origem criminosa, ou seja, uma artimanha para atribuir ao dinheiro sujo, uma origem legal.

Em um desses esquemas, o valor obtido com um prêmio da Mega Sena,  de R$ 16 milhões, teria sido dividido com o traficante de drogas Anselmo Becheli Santa Fausta, conhecido como ‘Cara Preta’. Morto no ano passado, Cara Preta era considerado um dos principais fornecedores de drogas do PCC.

Denarc afirma que traficante  ‘Cara Preta’ teve dinheiro lavado pelo ex-contador de Lula (Reprodução)

Endereço comprometedor

Segundo a Junta Comercial de São Paulo, o escritório do contador fica no mesmo endereço declarado de três empresas de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, filho do ex-presidente Lula: a BR4 Participações, a G4 Entretenimento e a FFK Participações.

Lulinha tem três empresas no endereço do contador do PCC (Reprodução Redes Sociais)

Há mais de uma década, Muniz é o contador de confiança da família de Lula, mesmo assim, a investigação do Denarc, não faz menção a Lula e Lulinha, além da ‘coincidência’ de endereços. A investigação  não faz, mas Marcos Valério é Hugo Carvajal fazem.

Quem é Hugo Carvajal?

Em setembro de 2021 –  poucos meses antes da delação premiada de Marcos Valério publicada no início de julho pela revista Veja, e do bloqueio dos bens do ex-contador de Lula por lavar dinheiro para o PCC em junho – foi preso na Espanha, o ex-general do exército e chefe do serviço secreto venezuelano, Hugo Carvajal.

Ex-braço direito do já falecido Hugo Chávez, Carvajal é apontado há anos pelos Estados Unidos, como o maior traficante de cocaína da América do Sul para o território norte-americano.

Ex-general venezuelano que foi braço direito de Hugo Chávez, o narcotraficante Hugo Carvajal afirma ter provas de que deu dinheiro para Lula

Depois de preso, sob a ameaça de extradição para os Estados Unidos, onde seria facilmente condenado à prisão perpétua, Carvajal contou um pouco do que sabe – garantindo saber muito mais –, antes de propor um acordo de asilo para a Justiça espanhola, que teria integrantes sobre os quais Carvajal também teria informações comprometedoras.

A jornalista espanhola Cristina Segui publicou parte das revelações do narcotraficante que afirma ter provas de que financiou campanhas de políticos de partidos de Esquerda da Europa e de toda a América Latina, inclusive o petista Luís Inácio Lula da Silva, a argentina Cristina Kirchner e o cocaleiro boliviano Evo Morales; o paraguaio Fernando Lugo, e o equatoriano Rafael Correa, todos ex-presidentes de seus respectivos países.

A jornalista espanhola Cristina Seguí (Reprodução)

Desde as declarações de Carvajal, a Justiça espanhola mantém suspenso o pedido de extradição feito pelo governo dos EUA. Coincidentemente, a presidência do governo espanhol (cargo equivalente ao de primeiro-ministro em outros países) está nas mãos de Pedro Sánchez Pérez-Castejón, que também é secretário-geral do Partido Socialista Operário Espanhol desde 2014.

‘Mais coincidências, companheiros’

Em novembro de 2021, dois meses após a prisão de Carvajal e das declarações do narcotraficante que afirma ter provas de ter financiado Lula e outros “companheiros” esquerdistas, o petista viajou à Espanha onde encontrou-se com o ex-presidente, José Rodriguez Zapatero, considerado pelos espanhóis como o “pior presidente que a Espanha já teve”. Zapatero também é acusado pelo narcotraficante Hugo Carvajal de ser dono de uma mina de ouro na Venezuela.

José Luís Zapatero em visita a Lula na prisão em 2019. (Foto: Lula.com.br)

Suspeitas recorrentes

Não é a primeira vez que o PT é denunciado por crimes passíveis de cassação da organização criminosa travestida de partido político. Os fortes indícios de relações do PT com o narcotráfico vêm de longa data.

Lula discursando durante a fundação do Foro de São Paulo em 1990 ,(Reprodução YouTube)

Vale lembrar que foram signatários da fundação do Foro de São Paulo, em 1990, ao lado de Lula e do ditador comunista cubano Fidel Castro, os narcoguerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias Colombianas (FARCs).

Narcoguerrilheiros comunistas das FARCs (Foto: terrorismo-narcolombia.blogspot)

Juristas alegam que o simples fato de o PT ser associado à uma organização supranacional comunista já é razão mais do que suficiente para a cassação da legenda.

Ex-braço direito de Lula, Palocci diz que PT recebeu US$1 milhão de Muammar Ghadafi (Foto: Arquivo – gov.br)

Mas não para por aí: em delação premiada firmada com o Ministério Público Federal em 2017, Antônio Palocci, ex-braço direito e  ex-ministro de Lula, revelou que o líder do PT  recebeu US$ 1 milhão em 2002 do então ditador líbio Muammar Gaddafi (ou Kadafi, grafia mais usada pela imprensa brasileira). Receber dinheiro de governo estrangeiro é outro dos crimes que podem levar um partido político à cassação.