“Acuse-os do que você faz. Chame-os do que você é!”

O cadáver embalsamado de Vladimir Lenin (Foto: Reprodução)

Partidos comunistas se valem do ativismo político de togado para nova chantagem comunista contra Bolsonaro

Conluio de partidos comunistas afirma em representação contra Bolsonaro apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF), que: “Prática reiterada durante atos de pré-campanha, agendas institucionais e aparições nas redes sociais [de Bolsonaro] reforçam no imaginário comum de seus apoiadores a prática da violência”.

A falácia narrativa materializa a Velha Máxima do comunista soviético Vladimir Lenin, que comanda:

“Acuse-os do que você faz. Chame-os do que você é!”

Os mesmos militantes comunistas que acusam Bolsonaro de disseminar discurso de ódio, por definição, militam por uma ideologia que pode ser perfeitamente definida como satanismo travestido de humanismo ateísta.

Os mesmos militantes comunistas que acusam Bolsonaro de ‘discurso de ódio’, produzem um vídeo com padrão cinematográfico para simular o assassinato do próprio presidente da República.

Os mesmos militantes comunistas que aplaudem quando outros militantes comunistas jogam futebol com uma réplica de uma cabeça do presidente.

Os mesmos militantes comunistas que em todo o mundo defendem a liberação do assassinato de bebês ainda no ventre de suas mães, a liberação das drogas e a corrupção e degeneração moral de crianças por meio da abominável Ideologia de Gênero.

Os mesmos militantes comunistas que acusam Bolsonaro de corrupção em “escândalos” na compra de vacinas em que não saiu um centavo dos cofres públicos, mas fazem vistas grossas para o “rastro de sangue” de um sem-número de assassinatos na história do PT e das relações da organização criminosa travestida de partido político com os narcotraficantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) e com os narcoguerrilheiros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARCs).

Os mesmos militantes comunistas que acusam Bolsonaro de “discurso de ódio”, mas há poucos dias aplaudiram o ex-presidiário condenado em três instâncias por corrupção e lavagem de dinheiro, Luís Inácio Lula da Silva, agradecer ao militante petista que jogou um pai de família na frente de um caminhão e condenou a vítima a terminar a vida com uma série de sequelas gravíssimas de saúde. Sobre esse “discurso de ódio”, Moraes não se manifestou.

Os mesmos militantes comunistas que cometeram essa tentativa de assassinato somente porque a vítima havia gritado na frente do Instituto Lula algo que é público e notório: que Lula é um criminoso, um ladrão condenado e ‘descondenado’ que juntamente com a organização criminosa que comanda, saqueou o Brasil em valores próximos a R$1 trilhão.

Os mesmos militantes comunistas que reclamam de discurso de ódio, aplaudem quando um professor da UFRJ declara que com conservadores o diálogo que pode haver é “uma boa bala de fuzil, um bom paredão e uma boa cova.”

Os mesmos militantes comunistas que têm como ídolos, genocidas como Joseph Stalin, Mao-Tsé Tung e Pol Pot, Fidel Castro e Che Guevara e que hoje apoiam ditadores comunistas como Xi Jinping, da China; Kim Jong-Un, da Coreia do Norte, Nicolás Maduro, da Venezuela e Daniel Ortega, da Nicarágua.

Os mesmos militantes comunistas que acusam Bolsonaro de ‘discurso de ódio’ defendem uma ideologia que é irmã siamesa do Nacional Socialismo (Nazismo) de Adolf Hitler e a quintessência do próprio ódio. Ao ponto de o comunismo ter matado ao menos 100 milhões de pessoas ao longo de pouco mais de 100 anos no mundo.

Os mesmos militantes comunistas que esfaqueiam bonecos em que se podia ler o nome de Bolsonaro.

Os mesmos militantes comunistas que publicaram montagens com a imagem Bolsonaro em um caixão.

Os mesmos militantes comunistas que publicam artigos com o título: “Porque eu torço para que Bolsonaro morra!”

Os mesmos militantes comunistas que levantaram a hashtag – #ForçaCovid – quando o presidente contraiu a peste chinesa. E o mais grave:

Os mesmos militantes comunistas que aplaudiram Adélio Bispo quando ele esfaqueou, no dia 6 de setembro de 2018, a um candidato à presidência da República que estava virtualmente eleito.

São esses cúmplices de todos os crimes contra à Humanidade cometidos pelo Comunismo, volto a frisar – esse satanismo travestido de humanismo ateísta – que agora acusam Bolsonaro de “discurso de ódio.”

Representação do cadáver embalsamado de Vladimir Lenin.  (Foto: Reprodução)