Alexandre de Moraes: “A voz dos imbecis”

O integrante do STF, durante palestra na Associação dos Magistrados do Brasil. Foto: AMB

“Alexandre de Moraes disse que a internet deu voz aos imbecis. Antes da internet, os sinistros só falavam nos autos” (Kobi Perez)

Silvio Ferreira

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes declarou no sábado, dia 14, durante o XXIV Congresso Brasileiro de Magistrados, em Salvador, que “a internet deu voz aos imbecis”: “Hoje qualquer um se diz especialista, veste terno, gravata, coloca painel falso de livros atrás e fala desde a guerra na Ucrânia até o preço da gasolina, além de atacar o Poder Judiciário.”

“Acuse-os do que você faz. Chame-os do que você é!” – Frase tradicionalmente atribuída ao ditador comunista soviético Vladimir Lenin

Moraes voltou a falar de “milícias digitais” – termo inexistente no ordenamento jurídico brasileiro -, que segundo o integrante do STF, “atacam a democracia”: “As milícias digitais produzem conteúdo falso, notícias fraudulentas e têm o mesmo ou mais acesso que a mídia tradicional”. Segundo o ministro, os supostos ataques visam a “desacreditar” a Imprensa. “Entidade” que, por sua vez, tem sido absolutamente autossuficiente neste esforço.

Segundo o integrante do STF, o Judiciário “não vai abaixar a cabeça”. “Não pode e não vai se acovardar perante essas agressões”. Justamente o STF, que tem elevado à enésima potência a sua capacidade de cometer inconstitucionalidades.

Ao lado do governador da Bahia, Rui Costa (PT) – surpresa zero – o ministro defendeu o “fortalecimento das instituições”: “Como disse o governador, é inimaginável que chegaríamos em 2022 precisando defender o Judiciário” [generalizando ao defender a Corte que integra] “e a democracia”, como se as duas guardassem, ainda que vagamente, a mais pífio traço de semelhança no Brasil, na atualidade. Tempos sombrios estes, da juristrocracia.

“A pior ditadura é a ditadura do Poder Judiciário. Contra ela não há a quem recorrer.” (Ruy Barbosa)