Aliado de Lula, Paes contraria Bolsonaro e marca 7 de Setembro no Centro do Rio

Eduardo Paes e Lula. Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula

‘Sabotagem’ ocorre depois de Presidente planejar comemoração da Independência em Copacabana

Aliado de longa data do ex-presidiário Luís Inácio da Silva, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), anunciou nas redes sociais, na terça-feira, dia 5, que o desfile do bicentenário da Independência, no dia 7 de setembro, não será realizado na praia de Copacabana, Zona Sul do Rio. O plano de realizar o desfile em Copacabana foi anunciado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL)

Sem ter feito um pedido oficial à Prefeitura do Rio, Bolsonaro anunciou o plano de realizar o desfile em Copacabana no dia 30 de julho, durante discurso na convenção que oficializou a candidatura de Tarcísio de Freitas ao governo de São Paulo:

“– Às 16h [do dia 7 de Setembro], nossas Forças Armadas estarão desfilando na Praia de Copacabana ao lado de nosso povo”, declarou Bolsonaro.

Dias antes, em 24 de julho, durante a convenção do Partido Liberal (PL) no Rio de Janeiro, que lançou a sua candidatura à reeleição, o presidente convocou apoiadores para irem às ruas no dia 7 de setembro.

“– Nós somos a maioria, nós somos do bem, nós temos disposição para lutar pela nossa liberdade, pela nossa pátria. Convoco todos vocês agora para que todo mundo, no 7 de Setembro, vá às ruas pela última vez – disse.


“– Evento organizado aonde o exército solicitou e aonde sempre foi feito. Simples assim! Prefeito aqui não trabalha na birra nem na fofoca. Preferências políticas e administração são coisas distintas. E as posições políticas aqui sempre foram claras”, publicou com sarcasmo Paes que já declarou voto no ex-presidiário comunista.

Paes também apressou-se em publicar em edital em Diário Oficial, definindo a realização da comemoração no centro da cidade, na avenida Presidente Vargas, em torno do Pantheon de Caxias.