Bill Gates: ‘Profeta’ metacapitalista anuncia ‘próximas ameaças à humanidade’

Bill Gates - O 'profeta' Balaão metacapitalista foto Paul Hackett - Associated Press

Fundador da Microsoft e acionista da gigante farmacêutica Pfizer,  Bill Gates ‘profetizou’ há quase seis anos, que estaria próxima de acontecer a ‘eclosão de um vírus devastador’ para o qual o mundo não estaria preparado. Cinco anos antes do Covid-19, a ‘profecia’ de Gates ainda detalhou que  “as pessoas se sentiriam bem o suficiente, enquanto infectadas, para entrar em um avião ou ir ao mercado”.

“Não há uma sensação boa em algo como isso que vou dizer, mas ‘Eu avisei’ “, ironizou o metacapitalista. E acrescentou: “As doenças respiratórias são muito assustadoras porque você ainda está andando por aí em um avião, um ônibus quando está infectado. Ao contrário de algumas outras doenças como o Ebola, onde você está principalmente em uma cama de hospital quando a carga viral infecta outras pessoas”.

Agora, relata o jornal Daily Star, Gates faz novas ‘profecias’ sobre os próximos dois ‘desastres’ que o planeta enfrentará: mudanças climáticas e o bioterrorismo. Sobre o mantra globalista das mudanças climáticas, Gates afirmou: “A cada ano isso representa um número de mortes ‘ainda maior’ do que tivemos nesta pandemia”.

Sobre bio-terrorismo, o bilionário fez uma afirmação que pode deixar quem a lê com uma sensação de déjà-vu:

“Alguém que queira causar danos pode criar um vírus e isso significa que o custo, a chance de se deparar com isso é mais do que epidemias de ‘origem natural’ ” – segundo Gates –  “como a atual ”. O  acionista da Pfizer disse que os humanos não têm o poder de prevenir futuras pandemias, mas podem estar mais bem preparados do que para a Covid-19 “para que nunca tenhamos um número de mortos perto do que temos hoje”.

No Antigo Testamento, Balaão foi um profeta mercenário cooptado pelo rei de um povo inimigo a amaldiçoar Israel. A diferença é que Balaão, por mais tentado que tenha sido, não pôde profetizar nada além do que Deus lhe autorizou a prenunciar. Já Gates, se parece cada vez mais, com uma espécie de Balaão 2.0.