Bolsonaro é lançado como candidato à reeleição pelo PL

Jair Bolsonaro no Maracanãzinho (Reprodução Facebook / Flávio Bolsonaro Oficial)

Presidente convocou todos os brasileiros a irem às ruas no próximo Dia 7 de Setembro, Dia da Independência: “Pela última vez!”

 

O Partido Liberal (PL) lançou oficialmente na manhã deste domingo, dia 24 de julho, a candidatura do Presidente Jair Bolsonaro à reeleição, em convenção no Maracanãzinho, na Zona Norte do Rio.

Bolsonaro subiu ao palco acompanhado pela primeira-dama, Michelle Bolsonaro e pelo general Walter Braga Netto, candidato à vice-presidente. É o primeiro caso na História da Política Brasileira em que uma chapa terá dois nomes do mesmo partido.

O Presidente da República e candidato à reeleição começou o discurso fazendo uma homenagem à esposa, Michelle Bolsonaro citando Provérbios 31, passagem bíblica que fala sobre o valor da “mulher virtuosa”. Depois, passou o microfone para a esposa abrir os discursos.

“ – Vocês estão apoiando um projeto de Libertação para nossa Nação!” E em outro momento: ” – O Senhor tem Poder sobre todas as coisas!”, disse a primeira-dama.

 

Michelle falou por 13 minutos e devolveu o microfone ao marido.

Ao concluir o discurso, o Presidente Bolsonaro convocou os apoiadores para saírem as ruas ‘pela última vez’ no próximo 7 de setembro.

“Nós somos maioria, nós somos do bem, nós temos liberdade para lutar pela nossa pátria. Convoco todos vocês agora, para que todo mundo, no 7 de setembro, vá as ruas pela última vez”, disse.

E em referência direta aos togados vermelhos, declarou:

“Esses poucos surdos de capa preta têm que entender o que é a voz do povo. Têm que entender que quem faz as leis são o Poder Executivo e o Legislativo. Todos têm que jogar dentro das quatro linhas da Constituição. Interessa para todos nós. Não queremos o Brasil dominado por outra potência. E temos outras poucas potências de olho no Brasil.”

Bolsonaro foi aplaudido demoradamente pelo público.

 

Tentativa de sabotagem frustrada

Sabotagem fracassou – Momento da execução do Hino Nacional Brasileiro, durante o lançamento da Candidatura à Reeleição do Presidente Jair Bolsonaro no Maracanãzinho (Reprodução Facebook / Flávio Bolsonaro Oficial)

Os portões foram abertos às 8h20, e rapidamente apoiadores começaram a entrar, sem a cobrança de ingresso. Inicialmente, as entradas para a convenção foram disponibilizadas gratuitamente em um site, mas, o Partido Liberal identificou – por meio de recursos de Inteligência Artificial – que mais de 40 mil esquerdistas haviam tentado sabotar o lançamento da campanha, reservando os convites com o intuito de esvaziar a Convenção – estratégia que os comunistas do Partido Democrata nos EUA adotaram com sucesso na campanha de 2020, esvaziando a Convenção que confirmaria a candidatura de Trump à reeleição, enquanto do lado de fora do local do evento, milhares de apoiadores ficaram impedidos de entrar.

No caso da Convenção que confirmaria Bolsonaro, a estratégia quase deu certo. Quarenta mil ingressos precisaram ser cancelados. A manobra criminosa foi apoiada inclusive pela deputada federal Tabata Amaral, do Partido Socialista Brasileiro (PSB), como noticiado pelo portal Áppice. Assim, o PL decidiu liberar a entrada dos apoiadores no Maracanazinho sem a exigência de ingressos.

A deputada federal Carla Zambelli (PL) acionou a Polícia Federal para investigar o caso de sabotagem e o deputado Eduardo Bolsonaro anunciou que denunciará a deputada Tabata Amaral ao Conselho de Ética da Câmara dos Deputados por crime eleitoral.

Participaram da convenção que confirmou a candidatura do Presidente da República Jair Bolsonaro à reeleição, além dos filhos do presidente que também são políticos – o senador Flávio Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro e o vereador Carlos Bolsonaro – e outros familiares do presidente, os ex-ministros Tarcísio de Freitas e Eduardo Pazuello; os deputados federais Daniel Silveira, Onyx Lorenzoni e Hélio Lopes; o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro e os sertanejos Matheus e Cristiano, que gravaram o jingle da campanha, “Capitão do Povo”.