Bolsonaro exalta apoio de Neymar e governadores na volta do horário eleitoral

Presidente destaca alianças políticas confirmadas e reforça promessas de campanha

Jovem Pan News

O horário eleitoral gratuito do Presidente da República, Jair Bolsonaro, voltou a ser exibido nesta sexta-feira, 7, em rede de rádio e televisão. A propaganda eleitoral do presidente, destacou o apoio do jogador Neymar e declarações de governadores como Romeu Zema, de Minas Gerais; Cláudio Castro, do Rio de Janeiro; Ratinho Júnior, do Paraná; e Ibaneis Rocha, do Distrito Federal.

A campanha também destacou o número de deputados e senadores eleitos aliados a Jair Bolsonaro (PL).

“ – Os candidatos que estão com o presidente receberam uma votação histórica. Se a gente quer um governo de paz e harmonia para o Brasil, não dá para ter um presidente de um lado e o Congresso do outro. Se o povo brasileiro já escolheu representantes ligados a Bolsonaro, o melhor para o Brasil é ter um presidente que governe com eles”, diz a campanha, que traz o chefe do Executivo agradecendo pelo apoio recebido.

“ – Essa bancada mais afinada comigo, que defendo os seus interesses, é a certeza de projetos passando com mais facilidade”, exalta Bolsonaro, que fala em harmonia entre os poderes.

“ – Quer um Brasil unido, forte e com capacidade de transformação? Vote 22”, diz Cláudio Castro. “Acredito mais na proposta do presidente Jair Bolsonaro do que no adversário”, diz Zema.

“ – Com Bolsonaro reeleito teremos paz na política e a certeza de um futuro melhor”, afirma Tarcísio Gomes de Freitas (Republicanos), que concorre ao segundo turno em São Paulo.

Por último, a campanha questiona os resultados das pesquisas eleitorais, afirmando que as projeções “erraram feito” e aconteceram “porque a mamata acabou”, trazendo uma música sobre o tema. Entre as promessas apresentadas estão: títulos de terras; aumento do crédito agrícola; alta nos investimentos para rodovias, portos e obras; e a geração de seis milhões de novos empregos. Na educação, creches noturnas finalizam as propostas “pelo bem do Brasil”.