Bolsonaro promete ‘ponto final’ a abusos do ‘outro Poder’

Presidente Jair Bolsonaro discursa em Divinópolis, interior de Minas Gerais | Foto: Reprodução

Presidente sobe o tom
contra o ativismo político do Judiciário comunista do País em discurso em Divinópolis (MG)

 

O Presidente da República, e candidato à reeleição, Jair Bolsonaro, declarou durante discurso de campanha nesta sexta-feira, dia 23 de setembro, em Divinópolis (MG), que pretende “botar um ponto final nos abusos de outro poder”, em uma clara alusão aos abusos de poder e atos inconstitucionais praticados de forma sistemática e crescente pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Bolsonaro afirmou contar com a maioria do país e repetiu que, se eleito, “todos, sem exceção, jogarão dentro das quatro linhas da Constituição”.

“ – O Brasil é um país livre. Vocês sabem que vocês estão tendo cada dia mais a sua liberdade ameaçada por outro Poder, que não é o Poder Executivo”, afirmou o presidente.

“- E nós sabemos que devemos botar um ponto final nesse abuso que existe por parte de outro Poder”, afirmou o Presidente da República.

As declarações de Bolsonaro sobre a atuação do Judiciário acontecem dias depois de o STF formar maioria para manter decisão do ministro Edson Fachin que suspendeu trechos dos decretos assinados pelo presidente que flexibilizam a compra e o porte de armas.

No dia 5 de setembro, ao analisar as ações, Fachin usou a falácia de “risco de violência política nas eleições deste ano” e estabeleceu restrições à aquisição de armas e munições, que tem usurpado nos três anos e oito meses do Governo Bolsonaro, a prerrogativa privativa do Poder Executivo de regular o tema.

Reeleito, Bolsonaro será responsável pela indicação de dois novos ministros ao STF e durante o discurso, afirmou que priorizará nomes que sejam contra o aborto para a indicação.