Bolsonaro: ‘Solução para Ucrânia pode ser igual a das Malvinas’

Bolsonaro e Zelensky, durante encontro em Tóquio, no dia 22 de outubro de 2019. (Foto: José Dias/PR)

Presidente Bolsonaro defende solução semelhante a encontrada por britânicos e argentinos que acabou com conflito na década de 1980

O Presidente da República, Jair Bolsonaro, afirmou nesta quinta-feira, dia 14, que vai sugerir ao presidente da Ucrânia, Volodmir Zelenski, uma solução para a guerra com a Rússia, semelhante a encontrada por britânicos e argentinos para acabar com a Guerra das Malvinas – ou das Falklands, como denominam os britânicos –, arquipélago que é um enclave britânico no Atlântico Sul, a 500 km da costa argentina.

No último dia 11 de julho, o presidente brasileiro informou que fará uma videoconferência com Zelenski no dia 18, a pedido do presidente ucraniano. Será a primeira conversa entre os líderes dos dois países desde a invasão russa no dia 24 de fevereiro.

Dias antes da invasão, o presidente brasileiro viajou para a Rússia para reunir-se com o presidente russo Vladimir Putin, cumprindo compromisso que já estava agendado meses antes. Bolsonaro declarou várias vezes que agradece ao presidente russo por reconhecer incondicionalmente a soberania do Brasil sobre a Amazônia.

Fertilizantes e Diesel
Durante a viagem à Rússia, Bolsonaro e Putin trataram de assuntos estratégicos para o Brasil, como a garantia da importação de fertilizantes, em um momento de escassez mundial do insumo causada pela política de lockdowns que quebrou as cadeias produtivas em todo o mundo.

Em 27 de junho, Bolsonaro voltou a falar com Putin, por videoconferência, visando a ampliar a colaboração estratégica entre os dois países. Desta vez, o assunto principal foi a importação de diesel da Rússia, depois que a produção global do combustível despencou com o início da guerra.

Durante fala a jornalistas nesta segunda-feira, o presidente brasileiro relatou que “está quase certo” para a compra de diesel da Rússia.

“Tudo que foi acordado com o presidente Putin está sendo cumprido. Da minha parte e da parte dele”, destacou Bolsonaro.

Guerra na Ucrânia

Sobre Zelensky, Bolsonaro declarou:

“Foi ele que buscou conversa conosco e eu disse, de imediato, que conversaria com ele sim. Ele tem um país grande para administrar. Vou conversar bastante com ele. É uma liderança e vou dar minha opinião para ele”.

Sem entrar em detalhes, Bolsonaro sinalizou que acredita que a solução para a guerra na Ucrânia é semelhante a encontrada por britânicos e argentinos para pôr um fim à Guerra das Malvinas.

Em 1982, a Argentina invadiu às Falklands – arquipélago que é uma possessão britânica no Atlântico Sul desde 1833 – que os argentinos chamam de Malvinas. A guerra foi totalmente assimétrica– como a atual guerra entre a Ucrânia e Rússia e terminou com a rendição argentina para a Marinha britânica – uma das maiores do mundo – menos de dois meses depois.