Campanha de Bolsonaro recorre de proibição de vídeo de Michelle pelo TSE

Michelle Bolsonaro Em Propaganda Eleitoral | Reprodução Mídias Sociais

Ministra do TSE alegou que primeira-dama ultrapassou tempo permitido e proibiu vídeo

Com informações ContraFatos

 

A campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) entrou com um recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a decisão que suspendeu a veiculação de uma propaganda eleitoral estrelada pela primeira-dama Michelle Bolsonaro.

Na semana passada, a ministra Maria Claudia Bucchianeri determinou mudanças na propaganda em que Michelle aparece por tempo superior ao previsto na lei eleitoral para apoiadores de candidatos.

O PL alegou à Corte Eleitoral que a esposa de Bolsonaro “não é uma mera apoiadora da campanha” e ainda que ela exerceu “sua liberdade de expressão” ao destacar feitos do marido.

“– Em nenhum momento da publicidade questionada, inclusive, Michele Bolsonaro faz uso de seus atributos pessoais para pedir voto em nome de Jair Bolsonaro, mas somente narra o vídeo que apresenta benefícios sociais para as mulheres alcançados com o término de uma obra pública de interesse nacional”, argumentaram os advogados.

Ainda de acordo com a defesa, a propaganda deve ser autorizada, visto que, segundo os advogados, “não há uma indevida exploração de prestígio pessoal de Michelle Bolsonaro”.

Cabe perguntar: o que seria uma “exploração indevida de prestígio pessoal”?