Comunismo: Randolfe quer criminalizar empresários por conversa de WhatsApp

Avanço comunista: Randolfe quer prisão de empresários por conversas sobre um hipotético “contragolpe” em caso de fraude nas urnas. Supostos prints das conversas teriam sido publicados por site esquerdista.

 

Na noite de quarta-feira, dia 17 de agosto, o  comunista Randolfe Rodrigues, senador pelo estado do Amapá do nanico partido de Esquerda, Rede Sustentabilidade, anunciou pelas redes sociais que vai ingressar com ação no Supremo Tribunal Federal (STF) mais uma vez (o esquerdista parece transitar mais pelo tribunal do que no Senado).

Desta vez, o senador comunista pretende provocar o notório ativismo político-judiciário do tribunal contra um grupo de empresários que teria afirmado – em uma conversa informal de um aplicativo de mensagens – que deveria haver um golpe caso o ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva ganhe as eleições por meio de uma fraude nas urnas.

A ameaça “soviet” do esquerdista foi feita depois que uma reportagem do colunista Guilherme Amado, do site esquerdista Metrópoles, que publicou prints de supostas conversas de um grupo de WhatsApp de grandes empresários brasileiros.

Entre os participantes do grupo estariam Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan; Afrânio Barreira, do Grupo Coco Bambu; e José Koury, dono do Barra World Shopping, no Rio de Janeiro; Ivan Wrobel, da construtora W3 Engenharia; e Marco Aurélio Raymundo, dono da marca de surfwear Mormaii.

Peças de ficção jurídicas comunistas

O senador comunista pretende mover a ação no âmbito do chamado “Inquérito dos Atos Antidemocráticos” uma das peças de ficções jurídicas inconstitucionais e ilegais com as quais comunistas de toga têm rasgado à Constituição e estuprado direitos e liberdades individuais, que são cláusulas pétreas da Carta Magna.

Vale lembrar que fora do “Direito Criativo” em vigor na aparelhada Suprema Corte brasileira, assim como para “Fake News”, não existe no ordenamento jurídico brasileiro nenhum tipo penal denominado “ato antidemocrático”. Por outro lado, a censura – essa sim – é proibida pela Constituição. Mas há tempos essa regra só vale para a Esquerda.

Projeto de Kim Jong-Un

O senador comunista – em mais um de seus rompantes típicos de sua mentalidade ditatorial  “soviética” – anunciou que já contatou a Polícia Federal (PF) e o Ministério Público Federal (MPF).

“– Estamos peticionando ao STF, pedindo quebra de sigilo, bloqueio e se necessário prisão. A Democracia não pode tolerar a convivência com quem quer sabota-la”, escreveu o projeto de dinator.