Ditadura comunista chinesa mobiliza tanques e caças próximo à Taiwan

Blindados chineses se concentram no litoral do Estreito de Taiwan | Foto: Reprodução

China mobiliza tanques anfíbios e caças no Estreito de Taiwan. Manobras militares ocorrem em resposta à viagem da presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi à ilha cobiçada pela ditadura comunista chinesa.

Com informações Revista  Oeste

 

A ditadura comunista chinesa mobilizou tanques anfíbios e caças militares em Xiamen, cidade costeira ao longo do Estreito de Taiwan,  na noite desta segunda-feira, dia 1⁰ de agosto, segundo reportagem do jornal britânico Daily Mail.

As manobras são uma reação à desastrosa decisão da líder do Partido Democrata, Nancy Pelosi, presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, de visitar Taiwan, dando um sinal verde para qualquer atitude insana da ditadura comunista. Pelosi desembarcou na capital da ilha, Taipé, na manhã desta terça-feira.

Em um comunicado publicado na segunda-feira, o Ministério da Defesa de Taiwan informou que tem “total conhecimento” das atividades militares e enviará forças apropriadamente, em reação a “ameaças inimigas”.

Imagens compartilhadas na rede social chinesa Weibo mostram tanques anfíbios na costa da Província de Fujian, ao longo do Estreito de Taiwan. Outras imagens mostram equipamentos militares em movimento em Xiamen.

Na semana passada, o secretário-geral do PCC, Xi Jinping, ameaçou o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, para os perigos da visita de Nancy à ilha. “Quem brinca com fogo se queima”, disse o comunista Xi Jinping, ao esquerdista, Joe Biden. Analistas entendem que Biden estaria realizando os sonhos do chinês, ao dar-lhe a desculpa que precisava para invadir Taiwan em definitivo.

Biden, durante videoconferência com Xi Jinping

A Rússia saiu em defesa da China hoje, ao acusar os EUA de “desestabilizarem” o mundo, ao permitir a viagem de Nancy. O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, advertiu que a visita seria “extremamente provocativa”.