Ditadura do Judiciário comunista avança e fecha TV durante transmissão ao vivo

Sem ninguém que rechace o avanço dos abusos de autoridade por parte de magistrados alinhados à militância de Esquerda, juristocracia Vermelha enlouquece e parte para o tudo ou nada

 

Agentes da Polícia Federal (PF) invadiram os estúdios da TV Piauí, em Teresina, nesta sexta-feira, dia 23 de setembro, durante um programa ao vivo e obrigaram a equipe da emissora a encerrar o programa. O momento em que o jornalista Douglas Ferreira é interrompido pelos policiais federais enquanto lia um comentário sobre os institutos de pesquisas eleitorais viralizou

Os agentes da PF recolheram documentos, celulares, computadores e outros equipamentos, que serão analisados no âmbito do inquérito policial instaurado na PF.

A emissora – de propriedade do minstro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP), que tem como principal adversário político, o ex-governador Wellington Dias (PT) – é acusada de divulgar “mentiras” e “informações distorcidas” sobre os integrantes da organização criminosa travestida de partido político.

O ato ditatorial de censura inconstitucional foi  determinado pelo juiz do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI), Marcelo Pio, que além de ordenar o fechamento da TV, ainda determinou a exclusão de todo o material publicado pela emissora nas redes sociais.

O abuso de autoridade comunazifascista tem como base a ficção jurídica criada pela Esquerda, que não tem nenhum lastro no ordenamento constitucional brasileiro: as chamadas “fake news”.

“Nunca antes na história deste País”, algo de cunho tão ditatorial aconteceu. Nem mesmo durante os chamados “anos de chumbo” do Regime Militar, em que as Forças Armadas brasileiras precisaram “pesar a mão” para combater assassinos comunistas que lançavam mão da guerrilha terrorista para tentar tomar o poder  e implementar uma ditadura socialista nos moldes de Cuba no Brasil.