Elon Musk anuncia desistência de compra do Twitter

Rede social teria ignorado pedidos de informações sobre contas falsas

Com informações Agência Brasil

Infelizmente, o passarinho azul deve continuar na jaula vermelha. O bilionário Elon Musk anunciou nesta sexta-feira, dia 8 de julho, que está cancelando o acordo de US$ 44 bilhões de compra do Twitter, devido a violações, por parte da direção da empresa, de várias cláusulas da negociação iniciada em abril.

Em comunicado, os advogados de Musk afirmaram que o Twitter “ignorou múltiplos pedidos de entrega de informação e algumas vezes os rejeitou por razões que não parecem justificadas.” As informações requeridas eram sobre o número total de contas falsas ou de spam na plataforma.

O comunicado também afirma que o Twitter violou conscientemente o mais recente acordo da negociação, firmado em 6 de junho, ao demitir executivos de alto escalão e um terço da equipe de aquisição de talentos, o que violaria cláusula do acordo que determinava que a empresa tinha obrigação de “preservar substancialmente intactos os componentes materiais de sua atual organização.”

Os termos da negocição incluiam uma cláusula de rompimento de contrato que previa que o bilionário pagasse U$1 bilhão nesta hipótese, mas com as alegações de que a empresa não cumpriu os termos do acordo, como afirmam os advogados de Elon Musk, uma disputa nos tribunais será inevitável.

E com isso, as expectativas de que a censura de conservadores na rede social – apelidada de “cracolândia da web”, por ser um território eminentemente esquerdista – derreteram. E o passarinho azul deve continuar servindo aos planos comunistas e globalistas.

Como cães que brigam pelo mesmo osso, tanto o globalista George Soros, quanto o ditador comunista chinês, Xi Jinping, agradecem Musk pela desistência.