Exército desmente fake news de que generais aceitarão ‘qualquer resultado das urnas’

Cúpula do Exército  repudia “fake news” do Estadão e deixa em pânico a Esquerda, que já tinha a tomada do poder – por meio das urnas teleguiadas –  como líquida e certa. Podem ter nadado tanto, tanto, para morrer na praia. Mais especificamente, na Ponta da Praia.

 

O Exército Brasileiro divulgou nota à imprensa nesta sexta-feira, dia 30 de setembro, desmentindo matéria falsa do jornal O Estado de S. Paulo assinada pelo jornalista Felipe Frazão, que trouxe a desinformação de que 16 generais da alta cúpula do Corporação teriam decidido “aceitar o resultado das urnas” na eleição presidencial do próximo domingo, seja ele qual for, e ainda que “quem ganhar leva”.

A Fake News do Estado de São Paulo afirmava ainda que oficiais da mais alta patente das três Forças Armadas “começaram a evitar exposição política e a dar sinais de distanciamento da inédita auditoria das eleições”.

Jornalista e veículo podem ser processados

Em repúdio à publicação de viés esquerdista, a nota do Exército Brasileiro declarou em nota oficial:

” – Sobre a matéria veiculada pelo jornalista Felipe Frazão, na data de hoje, e publicada no sítio eletrônico do jornal o Estado de São Paulo, intitulada – Alto-Comando do Exército diz que “quem ganhar leva” a Presidência e se afasta da auditoria de votos, o Comando do Exército manifesta total repúdio ao seu conteúdo. Na reunião do Alto-Comando do Exército (ACE), ocorrida entre 1º e 5 de agosto, não foram tratados assuntos de natureza político-partidária, tampouco houve qualquer manifestação de oficial do ACE nesse sentido. Os dados apresentados na matéria são inverídicos e tendenciosos. É lamentável que um veículo de expressão nacional promova desinformação que só contribui para a instabilidade do País. Dessa forma, as medidas judiciais cabíveis estão sendo estudadas. O Exército Brasileiro é uma instituição nacional, cônscio de suas missões constitucionais e democráticas, tendo na hierarquia e na disciplina seus pilares inabaláveis”, diz a nota

Nada de novo. A Velha Imprensa Vermelha do País repetiu a sua tradicional estratégia de tentar semear discórdia entre as Forças Armadas e o Presidente da República. Mas o tiro pode ter saído pela culatra.

A peça de desinformação esquerdista, que tentou criar a ideia de que a cúpula das Forças Armadas teriam algum grau de dissidência em relação aos posicionamentos do Chefe Supremo das Forças Armadas – assim como de vários generais de alta patente que já explicitatam as suas desconfianças sobre o sistema eleitoral brasileiro – levantou ainda mais suspeição sobre as urnas padrão BBB (Bangladesh, Brasil e Butão). E explicitou o porquê do desespero da Esquerda em divinizar as urnas bolivarianas, impostas ao povo brasileiro pelo ativismo político do  PT.S.E. Ela é a última etapa do plano de tomada do Poder. E não pode falhar.

Mas a manifestação do Exército Brasileiro deixou a Esquerda – o deep state, o establishment marxista que apodreceu quase todas as instâncias dos Poderes da República – desesperada.

Afinal, eles trabalharam arduamente desde o fim do Regime Militar, pela criação dessa antessala do Inferno comunoglobalista.

Mas a última etapa do golpe esquerdista, via fraude nas urnas – chamado pelo criminoso José Dirceu de “tomar o poder, o que é diferente de vencer às eleições” – pode ter nadado, nadado, para morrer na praia. Mais especificamente, na “Ponta da Praia.”