Fábio Faria acusa rádios de sabotarem campanha de Bolsonaro

Fabio Faria, ministro das Comunicações do governo Bolsonaro, denunciou supostas irregularidades nas inserções partidárias no segundo turno presidencial - Foto: Alan Santos - PR

Ministro das Comunicações denunciou que empresas de rádio estariam omitindo inserções do atual governo; no total, foram 53 dias de propagandas partidárias não transmitidas

Jovem Pan

 

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, realizou um pronunciamento nesta segunda-feira, 24, em frente ao Palácio do Alvorada junto ao ex-secretário de comunicação da Presidência, Fabio Wajngarten, e anunciou que uma auditoria contratada pela campanha do presidente Jair Bolsonaro (PL) flagrou irregularidades nas inserções publicitárias do candidato à reeleição no segundo turno das eleições.

De acordo com o ex-secretário, o número total de vezes em que as inserções deixaram de ser veiculadas seriam de 53 dias de propagandas partidárias; 154.085 inserções (entre o total de emissoras) a menos que o ex-presidente e candidato ao comando do Planalto, Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

“ – Só no Nordeste, na semana de 7 a 14 de outubro, foram 12 mil inserções a menos. E na semana seguinte, dos dias 14 a 21, foi para mais de 17 mil. O lugar mais forte disso é o estado da Bahia. Só na primeira semana, foram mais de 7 mil a mais para Lula”, pontuou.

Faria comunicou que esteve nesta tarde com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes, e apresentou os números do levantamento.

“ – Isso é uma grave violação do sistema eleitoral. E agora o TSE vai investigar para saber porque essas rádios fizeram isso”, disse o ministro.

A reclamação de Faria e de Wajngarten é de que a região mais afetada foi o Nordeste, com 18,24% menos inserções que o candidato do Partido dos Trabalhadores.