FIEMS: 18% das indústrias aumentaram produção em abril

Foto: Divulgação Fiems

Fiems constatou acomodação no setor, mas mesmo em meio à crise pós-pandemia, quase 20% das indústrias cresceram

Silvio Ferreira

Sondagem realizada pelo Radar Industrial da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul) registrou crescimento da atividade industrial em apenas 18% das empresas consultadas do estado entre os meses de março e abril. O levantamento avalia que a estabilidade na produção na maior parte das empresas consultadas – 58% – aponta para “uma acomodação na passagem entre os meses de março e abril.”

Mesmo em meio à crise econômica mundial gerada pela quebra das cadeias produtivas durante a pandemia de Covid-19, o levantamento aponta que 61% dos empresários industriais de Mato Grosso do Sul consultados, relataram que a utilização da capacidade instalada esteve igual ou acima do usual para o mês. Já a utilização média da capacidade total de produção encerrou o mês em 73%. O coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, afirma que as expectativas são positivas para os próximos seis meses.

“Os empresários industriais de Mato Grosso do Sul estão otimistas e esperam crescimento da demanda por seus produtos e aumento das contratações. Com essa combinação, os índices de confiança e intenção de investimento permanecem em patamares positivos e acima da média histórica obtida para o mês”.

Expectativas

Para os próximos seis meses, 49,3% dos empresários contatados afirmaram esperar aumento na demanda. Empresários que estimam que o nível de demanda se manterá estável representam 42,7% do dos ouvidos pelo levantamento. Apenas 6,7% deles fizeram previsões de queda na demanda.

Emprego

Sobre o número de empregados, 24% das empresas afirmaram que o número de empregados deve aumentar nos próximos seis meses; 68% das empresas pretendem manter o número de funcionários estável e apenas 6,6% acreditam que possa ocorrer uma redução de vagas.

Intenção de Investimento

Do total de empresas industriais pesquisadas pelo Radar Industrial da Fiems, 61,3% anunciaram que pretendem investir nos próximos seis meses. O percentual elevou o índice de intenção de investimento do empresário industrial para 57,0 pontos neste início do mês de maio. “Os resultados variam de 0 a 100 pontos, quanto maior o índice, maior é a intenção de investir”, destacou Resende. Segundo o economista, “o levantamento indica aumento de 8,1 pontos em relação à média histórica registrada para o mês.

Confiança dos industriários segue em patamar positivo

A Sondagem Industrial também avaliou o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI), que em maio alcançou a marca de 61,3 pontos, indicando aumento de 2,6 pontos acima do mês anterior e de 7,5 pontos em relação à média histórica registrada para o mês.

“Em geral, a confiança do empresário industrial de Mato Grosso do Sul segue num patamar positivo, principalmente por conta do otimismo projetado para os próximos seis meses, especialmente em relação ao desempenho esperado para a própria empresa. Por fim, o indicador permanece acima da linha divisória dos 50 pontos, sinalizando que o empresário industrial de Mato Grosso do Sul segue confiante”, explicou o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems.

Percepções sobre cenários econômicos

Em um cenário de esforços pela retomada da atividade econômica, 22,7% dos empresários avaliam que as condições gerais da economia brasileira melhoraram. Em relação à economia estadual, o percentual foi de 17,3%. E sobre a própria empresa, 28,0% dos empresários relataram melhora nas condições econômicas.

Ainda de acordo com a pesquisa do Radar Industrial da Fiems, em maio, 46,7% dos empresários consideram que não houve alteração nas condições atuais da economia brasileira. Em relação à economia sul-mato-grossense, a percepção de estabilidade foi relatada por 53,3% dos empresários. E a respeito da própria empresa, 49,3% dos consultados afirmaram que a condição permaneceu estável.

Por outro lado, o levantamento apontou que 29,3% dos empresários consideraram que as condições atuais da economia brasileira pioraram. No caso da economia estadual, esse cenário foi apontado por 28% dos participantes do levantamento. Com relação à própria empresa, 21,3% dos entrevistados revelaram que as condições pioraram.

Empresários que não quiseram fazer nenhum tipo de avaliação sobre as condições atuais da economia brasileira, estadual ou das próprias empresas representaram 1,3% dos consultados.

Expectativas para os próximos seis meses

O Radar Industrial da Fiems apurou que, neste início do mês de maio, 52% dos empresários se mostram confiantes e acreditam que o desempenho da economia brasileira vai melhorar. Em relação à economia estadual, o resultado ficou em 46,7%. E no caso das próprias empresas, 65,3% dos empresários declararam que confiam na melhora do desempenho.

Os que acreditam que a economia brasileira deve permanecer estável ficou em 38,7%. Quanto a economia de MS, esse percentual ficou em 45,3% e a respeito da própria empresa, em 29,3%.

Apenas 8% dos entrevistados demonstraram-se pessimistas em relação à economia brasileira; 6,7% não têm boas previsões para a economia estadual e apenas 4% dos empresários apontaram uma expectativa negativa para o desempenho da própria empresa.

Os empresários que não fizeram nenhum tipo de avaliação das expectativas em relação à economia brasileira, estadual e do desempenho da própria empresa representam 1,3% do levantamento.