Greve surpresa no transporte coletivo paralisa Campo Grande

Terminal de passageiros no Centro de Campo Grande-MS (Foto: Silvio Ferreira)

Trabalhadores do transporte público de Campo Grande, Capital de Mato Grosso do Sul, realizam uma paralisação surpresa de 24 horas nesta terça-feira, dia 21 de junho, em decorrência do atraso no pagamento do adiantamento de 40% do salários dos trabalhadores, que deveria ter sido realizado na segunda-feira.

Segundo informações do Sindicato dos Trabalhadores do Transporte Coletivo de Campo Grande, a greve será mantida pelo tempo que for necessário até que os valores devidos sejam quitados.

O Consórcio Guaicurus –  grupo concessionário do transporte público de Campo Grande – informou que não foi comunicado previamente sobre a greve e pretende acionar o Ministério Público do Trabalho (MPT) contra o sindicato.

Segundo informações do diretor-executivo do Consórcio Guaicurus Robson Luis Strengari, “a  paralisação é ilegal, pois não atende às regras previstas em lei que preveem a votação da proposta de paralisação em assembleia da categoria, comunicação da manifestação com 48h de antecedência aos órgãos públicos competentes e à população por meio dos veículos de Comunicação, e ainda a permanência no trabalho de um percentual mínimo de 30% dos trabalhadores. O consórcio alega ainda que o atraso no pagamento ocorre em função de dificuldades financeiras enfrentadas pelo grupo, formado por quatro empresas de transporte coletivo: as viações Campo Grande, Jaguar,  Morena e São Francisco.

Segundo informações  da Agereg (Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos) de Campo Grande, uma reunião entre prefeitura e consórcio está marcada para esta terça-feira para tentar prefeitura também deve judicializar a situação.

Atualizada às 12h19 para acréscimo de informações