Guedes: ‘Governadores foram sócios da Crise’

Ministro da Economia defendeu ações do governo Bolsonaro na pandemia e privatização da Petrobras

 

O ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou que governadores do Brasil contribuíram com a crise econômica do país e ainda defendeu a gestão de Jair Bolsonaro, demonstrando a eficácia das ações do governo no combate à pandemia da Covid-19.

As declarações foram feitas durante reunião com senadores da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) para falar sobre os preços dos combustíveis e a garantia de abastecimento no país nesta terça-feira, dia 12 de julho.

“– Nós fomos muito bem-sucedidos em garantir os recursos públicos para quem mais precisava, fizemos a coisa com muita técnica. Por outro lado, os governadores, quando se recusaram a cumprir o acordo que tinham feito conosco, foram sócios da crise”, afirmou.

Guedes ainda criticou as políticas de isolamento social adotadas pelos estados para frear a contaminação pela doença, em contrariedade ao posicionamento do governo federal.

“– Quanto pior a crise, mais arrecadação e mais aumento salarial em ano eleitoral’, resumiu Guedes sobre o posicionamento dos governadores.

O ministro da Economia também ironizou a contradição que é o Brasil ter uma estatal do petróleo, se ela pratica política de preços dos combustíveis que mantém a paridade à cotação do dólar.

“– Por que ter uma estatal para fazer algo que tem que ser vendido a preço de mercado? Quando você vai para a economia americana, ela trata petróleo como commodity, de forma simples. Se alguém descobre petróleo na porta da sua casa, pode explorar. Eles exploram petróleo como a gente explora a soja”, completou.

Guedes reiterou a defesa da privatização da Petrobras, como forma de financiar programas sociais.

“– Governos anteriores diziam que protegiam as estatais e na verdade destruíram esses recursos. Com as privatizações, vamos abastecer o fundo de erradicação da pobreza e o fundo de recuperação nacional”, concluiu.