Lua de Sangue ‘tripla total’ será visível em todo o Brasil

Eclipse Lunar com 'Lua de Sangue' (Getty Images-Julian Yago)

Fenômeno poderá ser observado nas Américas do Sul, Central e do Norte, Europa e África

Silvio Ferreira, com informações Agência Brasil

Um eclipse lunar “triplo total” – eclipse total com todas suas etapas podendo ser totalmente apreciadas na totalidade das regiões de todo o Brasil – poderá ser observado a partir das 23h27 (horário de Brasília) avançando pelo início da madrugada. Segundo a astrônoma Josina Nascimento, do Observatório Nacional – fenômeno semelhante só deve voltar a ocorrer entre os dias 25 e 26 de junho de 2029. “Mas, até lá, teremos vários eclipses parciais”, explica a pesquisadora.

“O Brasil inteiro verá esse eclipse do início ao fim, em todas suas fases, na sequência penumbral, parcial, total, e depois retornando à parcial e à penumbral”, explica a astrônoma. “Outra vantagem é que a Lua estará bem alta no céu, longe do horizonte, bem fácil de ser vista. Agora é torcer para que o tempo fique bom e não atrapalhe esse espetáculo”, acrescentou.

O evento durará pouco mais de 3 horas, com seu ápice previsto para à 1h11, quando o satélite natural apresentará a tonalidade avermelhada que dá a ele, nessas ocasiões, o nome de “Lua de Sangue”. O eclipse deve terminar às 2h55, no horário de Brasília.

Além do Brasil, o eclipse da ‘Lua de Sangue’ poderá ser observado nos demais países da América do Sul e em toda a América Central; em parte da América do Norte, Europa e África.

Os eclipses lunares ocorrem quando há um alinhamento entre o Sol, a Terra e a Lua. “Quando um corpo extenso, como o Sol, ilumina outro corpo extenso – no caso, a Terra –, ocorrem duas regiões de sombra: a penumbra e a umbra. Quando totalmente escura, sem nenhuma luminosidade, essa sombra é a umbra; quando recebe luz em alguns pontos, essa sombra, um pouco mais clara, é a penumbra.

“Quando a Lua entra nessa sombra da penumbra, começa o eclipse penumbral; quando está totalmente na penumbra, é o eclipse penumbral. Quando começa a entrar na umbra, é o eclipse parcial. Quando ela está totalmente mergulhada na umbra, é o eclipse total, e ela toma uma cor avermelhada belíssima. Por isso é chamada de Lua de Sangue”, conclui a astrônoma do Observatório Nacional.