Mais de 9 milhões encontraram ocupação em um ano no Brasil

Número de carteiras assinadas no trimestre encerrado em abril foi de mais de 1 milhão

Em um ano, mais 9,036 milhões de pessoas encontraram uma ocupação no Brasil e somente ao longo do trimestre encerrado em abril, o país registrou a abertura de 1,083 milhão de vagas no mercado de trabalho. A população ocupada alcançou um recorde de 96,512 milhões de pessoas no período. Já a população desocupada diminuiu em 699 mil pessoas no trimestre. O desemprego no País atingiu a menor marca trimestral em 6 anos – 10,5% no trimestre encerrado em abril de 2022 -, desde fevereiro de 2016, quando a marca foi de 10,3%, de acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados nesta terça-feira (31) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na comparação com o mesmo trimestre – de fevereiro a abril – em outros anos, o resultado é o melhor desde 2015, quando o percentual de desocupados era de 8,1%. O resultado divulgado nesta terça ainda mostrou que a taxa atual caiu 0,7 ponto percentual em relação ao trimestre de novembro de 2021 a janeiro de 2022, e 4,3 pontos percentuais em relação ao mesmo período de 2021.

Números impressionantes, levando-se em consideração que nos últimos dois anos, o Brasil enfrentou à pandemia de Covid-19, à maior crise hídrica em um século, o avanço da inflação decorrente da quebra das cadeias produtivas durante o “surto” do “fique em casa, a economia a gente recupera depois” e ainda a alta dos combustíveis decorrente da guerra entre Rússia e Ucrânia, que está deteriorando ainda mais a já combalida economia global.