Manifesto em defesa das liberdades e de Bolsonaro supera 750 mil assinaturas

Abaixo-assinado de iniciativa de advogados de Direita se aproximava das 750 mil assinaturas no final da noite desta terça-feira, dia 2 de agosto.

O manifesto em defesa das liberdades e do presidente Jair Bolsonaro, de iniciativa de advogados de Direita, abriu ampla vantagem sobre o documento contra o Presidente da República, assinado por 500 mil petistas, tucanos, celebridades esquerdistas e banqueiros que “nunca na história desse país” ganharam tanto dinheiro quanto nos 16 anos de saques à Nação brasileira, praticados pela organização criminosa travestida de partido político, também conhecida como Partido das Trevas.

O documento supera, com ampla vantagem, as 500 mil rubricas do abaixo-assinado comunista que, ao alegar “defender a democracia”, luta por urnas eletrônicas como uma questão de vida ou morte. A carta da Esquerda adverte para o “risco às instituições”, sem citar em nenhum momento que a única base legítima para uma verdadeira Democracia não são as instituições, mas o Povo.

Reprodução atualizada no início da madrugada de quarta-feira, dia 3 de agosto.

O Manifesto pelas Liberdades afirma:

“Há em nosso país a gravíssima tentativa da consolidação da ‘ditadura do pensamento único’, que vem impondo a censura e a desmonetização dos meios de comunicação independentes e de perfis de redes sociais”, divulgada por páginas conservadoras na internet.

O abaixo-assinado menciona as investigações inconstitucionais movidas pelo Supremo Tribunal Federal:

“Testemunhamos a instauração de inquéritos ilegais e inconstitucionais, com o simples objetivo de criminalizar a opinião contrária, pelo órgão que deveria zelar pelos direitos fundamentais da população, abolindo nossas liberdades individuais e garantias fundamentais”, denuncia o manifesto.

A carta sustenta ainda que os brasileiros são um “povo pacífico, que ama a sua nação”.

“Qualquer pessoa deve ter o seu direito de se expressar livremente, sem qualquer tipo de limites. A liberdade de expressão é o que permite o diálogo entre pontos de vista diferentes, antagônicos”, defende o documento.

O panfleto ideológico – mais um sinal de desespero da Esquerda – foi lançado poucos dias depois de Bolsonaro reiterar a vulnerabilidade à fraudes e a insegurança das urnas eletrônicas e insistir na necessidade da adoção de medidas que garantam alguma transparência nas eleições deste ano.