MDB pode acusar ‘lulistas’ da sigla de ‘feminicídio político’ se Tebet for fritada

Quando o feitiço se volta contra os feiticeiros

Comédia esquerdista: MDB pode acusar lulistas do partido de “feminicídio político” se Convenção de Tebet for judicializada. O argumento surreal será de que apoiadores do ex-presidiário querem rifar candidatura da senadora por questão de gênero. Vitimismo feminista deve ser a estratégia da cúpula do MDB para impedir a implosão da candidatura da senadora Simone Tebet à presidência da República, depois que 11 caciques regionais da legenda anunciaram apoio ao ex-presidiário petralha.

A possibilidade já é considerada pela cúpula do MDB, caso a ala lulista do partido, liderada por Renan Calheiros – Tutti buona gente – insista em sabotar a realização da convenção virtual da sigla que deve oficializar a candidatura da senadora Simone Tebet (MS) ao Palácio do Planalto, para apoiar à candidatura de Lula – ex-presidiário condenado por 9 juízes e desembargadores de três instâncias e ‘descondenado’ em um malabarismo jurídico de Edson Fachin, integrante do STF.

A cúpula do MDB planeja alegar na Justiça que os apoiadores do ‘descondenado’ – e ele também, indiretamente – cometem um “feminicídio político”, ao atuarem junto aos demais setores do MDB para rifar a candidatura da senadora à Presidência.

“Se eles judicializarem, vamos dizer que o Lula está cometendo uma tentativa de feminicídio, ao querer matar a candidatura da única mulher candidata a presidente. Estão querendo inviabilizar a candidatura dela por uma questão de gênero”, afirmou um cacique do MDB aliado a Tebet.

A informação foi publicada pelo colunista Igor Gadelha, do portal esquerdista Metrópoles.

A convenção de Tebet está marcada para 27 de julho e pode ser virtual, mas a ala lulista do MDB, pretende adiar o evento para o último dia do prazo estabelecido pelo TSE para a oficialização de candidaturas, 5 de agosto. Nos bastidores, ventila-se que a ideia é matar a candidatura de Tebet ainda no berço, adiando à Convenção e inviabilizando a oficialização da campanha naquela data. A candidatura de Simone ‘PTebet’ começou a minar água por todos os lados.