MS teve saldo positivo de empregos na pandemia

Número de empregos formais cresceu  em todos os segmentos da Economia

Silvio Ferreira

Mato Grosso do Sul alcançou resultados positivos na geração de empregos em 2021 e no primeiro semestre de 2022, apesar da pandemia de Covid-19. O maior destaque ficou por conta do setor de serviços, com a geração de 14.619 vagas em 2021 e 7.697 nos três primeiros meses deste ano. O comércio registrou um crescimento de 11.499 vagas no mercado formal de trabalho em 2021 e 261 novas vagas nos três primeiros meses de 2022. A Indústria gerou 3.579 vagas em 2021 e 2.603 nos três primeiros meses de 2022.

O governo do Estado defende que medidas adotadas durante a crise sanitária – como a adoção de protocolos de biossegurança e a campanha de vacinação da população – contribuíram para criar um ambiente favorável para a atração de indústrias e investimentos e o consequente aumento da geração de empregos.

Além disso, o governo do estado afirma que o ambiente no estado é favorável para investimentos privados: “Quem investe aqui tem segurança jurídica. Temos uma das melhores políticas de incentivos fiscais, abrindo uma janela de oportunidades, gerando empregos, renda e promovendo o desenvolvimento social. O papel do Estado é esse: ser indutor do desenvolvimento”, argumenta o governador de MS, Reinaldo Azambuja.

O Peso do Agronegócio

O agronegócio, como um todo, gerou 3.889 novas vagas no ano passado e outras 4.046 no primeiro trimestre de 2022. Na agricultura, de acordo com o secretário-adjunto da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar), Ricardo Senna, MS registrou o 2° maior crescimento de produção de grãos do País na última safra. “Mesmo com o revés da seca, vamos colher 20,6 milhões de toneladas”, contou. Na última década, Mato Grosso do Sul ampliou em 99,38% a plantação de soja, com produtividade 31,51% maior, e é o 2° do País em área de florestas plantadas, o 3° em produção de celulose e papel.

Na pecuária, MS tem o 5º maior rebanho do Brasil, com 18,6 milhões de cabeças. O governo destaca a importância de incentivos financeiros para garantir a saúde animal, a biossegurança e o associativismo, sustentabilidade ambiental e a adoção de boas práticas agropecuárias no estado, como fatores de fomento da atividade econômica e para a geração de empregos. E destaca que Mato Grosso do Sul ainda vai receber do Ministério da Agricultura o status de área livre de febre aftosa, sem vacinação, a partir de 2023, assim que concluir a última etapa da imunização do rebanho programada para o próximo mês de novembro.

Obras públicas aquecem mercado da construção civil

Segundo o governo do estado, na área da construção, obras como a construção dos hospitais regionais de Três Lagoas (concluída) e de Dourados; a pavimentação e implementação de rodovias; a pavimentação de ruas e avenidas nos municípios e a reforma de mais de 270 escolas contribuíram para a geração de 3.680 novas vagas no ano passado e de 2.437 novas vagas de janeiro a março de 2022.

“O Estado é muito pujante com obras em todos os municípios, o que aumentou muito a oferta de empregos”, comemora o diretor-presidente da Funtrab, Marcos Derzi.