New York Times: ‘STF foi longe demais?’

Alexandre de Moraes | Foto SCO STF

Maior palanque da Esquerda mundial, o ‘New York Times’, usou da dissimulação de uma pergunta meramente retórica para admitir que uma ditadura bolivariana do Judiciário se instaurou no Brasil.

 

Artigo publicado nesta segunda-feira, dia 26 de setembro, que mais parece um ‘mea culpa’, ou um álibi para que, no futuro, ninguém possa afirmar que ‘The New York Times’ – o megapanfleto marxista norte-americano – jamais publicou nada sobre o ativismo político revolucionário marxista e golpista com que o mais aparelhado tribunal brasileiro tem estuprado à Constituição Federal do País dia sim, dia também.

O artigo insinua que os togados vermelhos do STF se tornaram a maior ameaça à democracia no Brasil. Nada de novo para os brasileiros, para quem o tribunal se transformou há muito tempo, em um mero ‘puxadinho’ do ‘Partido das Trevas’.

Em uma espécie de ‘mea culpa’, o NYT reconhece, ainda que de forma dissimulada, que o “S.PT.F.” – em especial, o togado Alexandre de Moraes – ultrapassaram todos os limites possíveis e imagináveis com abusos de autoridade somente equiparados aos das mais corruptas ditaduras cucarachas bolivarianas da “América Latrina”.

“Para defender a democracia, a suprema corte do Brasil está indo longe demais?”, pergunta, cinicamente, o esquerdalha NYT

O título, uma pergunta meramente retórica, faz referência à recente operação da Polícia Federal – outrora gloriosa, mas cada vez mais aparelhada pelos togados vermelhos – sob às ordens inquisitoriais do togado tucanalha, que  representou um verdadeiro atentado comunista a direitos constitucionais fundamentais de oito empresários apoiadores do Presidente da República, Jair Bolsonaro.

O crime dos empresários? Participar de um grupo de WhatsApp em que um dos deles cometeu a “blasfêmia” de confidenciar que “prefere um golpe [de Estado] a volta ao poder  organização criminosa petralha” (Quantos brasileiros honestos não pensam assim?).

O New York Times reconhece que a arbitrariedade seria “uma demonstração do poder” do togado e sinal grave do avanço totalitário [da ditadura da toga] no país.

A reportagem lista alguns dos estupros constitucionais cometidos  por Alexandre de Moraes – como a prisão inconstitucional do deputado federal Daniel Silveira (PTB) que indignou juristas, entre outras ilegalidades e o reconhecimento de que o ativismo judicial de Moraes e seus comparsas conta com o apoio de políticos de esquerda e de grande parte da Velha Imprensa, essa prostituta de comunistas.

A publicação reconhece que na totalidade das ações, o ministro agiu  de forma “unilateral”, reconhecendo o que todo Patriota brasileiro já sabe: de forma absolutamente ditatorial.