Novo coronavírus foi fabricado acidentalmente em laboratório chinês, diz descobridor da AIDS

Luc Montagnier, prêmio Nobel de 2009, pela descoberta do vírus HIV Aids na década de 1980.

Prêmio Nobel de Medicina de 2008 garante que covid-19 recebeu parte do DNA do vírus HIV em laboratório

(Matéria atualizada a posteriori para a inclusão do vídeo)

O novo coronavírus foi fabricado artificialmente em um laboratório chinês, provavelmente no segundo semestre de 2019, diferentemente do que divulgaram as autoridades, declarou o descobridor do vírus da Aids nos anos 1980, e prêmio Nobel de Medicina de 2008, Luc Montagnier, em entrevista à rádio francesa Frequénce Médicale.

Montagnier contou que o fato de o laboratório de alta segurança da cidade de Wuhan ser especializado em coronavírus, desde o começo dos anos 2000, lhe levantou uma suspeita.

Assim que um grupo de pesquisadores indianos publicou a conclusão do sequenciamento genético do Sars-Cov-2 (covid-19), em parceria com o matemático Jean-Claude Perez, especialista em biomatemática, Montagnier fez uma descoberta bombástica: o covid-19 incluía sequências de RNA de outro vírus.

“Isso me fez olhar de perto a sequência de RNA do vírus e isso foi uma surpresa para mim, pois era exatamente o HIV.”

Montagnier descarta que o covid-19 possa ser uma mutação gerada a partir de algum paciente com Aids que se contaminou com o vírus chinês e garante que o vírus foi necessariamente fabricado em laboratório a partir de um outro vírus.

 “A história que veio de um mercado de peixes é uma lenda.”

Montagnier especula que o covid-19 teria sido desenvolvido e se espalhado “acidentalmente” pelos chineses durante a tentativa de produzir uma vacina contra a Aids, a partir de um coquetel de vírus que incluiria o HIV e o coronavírus presente em morcegos.

A tese causou controvérsia entre os laboratórios franceses e foi contestada por cientistas do Instituto Pasteur e do Centre National de la Recherche Scientifique (CNRS) da França. O assunto ganha mais gravidade porque a ditadura chinesa tem perseguido médicos e jornalistas que tentam divulgar informações sobre a origem e disseminação do vírus.

Para Montagnier, por ser artificial, o covid-19 tende a ser eliminado pela natureza com o tempo. “Mas até lá haverá muitas mortes”, concluiu o prêmio Nobel de Medicina.

 

Confira abaixo, vídeo do Jornal da Record que noticiou a denúncia do cientista Luc Montagnier.