Partidos comunistas votaram contra fim da ‘saidinha’

Bolsonaro: "PT votou contra fim da saidinha para crimimosos. Novidade nenhuma" (Reprodução / YouTube)

‘Ninguém solta a mão de ninguém’: PT, PCdoB, PSB e PSOL votam contra o fim do benefício dos comparsas

Na live semanal desta quinta-feira, dia 4 de agosto, o presidente Jair Bolsonaro destacou que integrantes de partidos comunistas votaram contra o Projeto de Lei 6579/13, que acaba com a saidinha dos presos. Aprovado por 311 votos a favor e 98 contrários.

“ – Os que votaram contra o projeto, de forma unânime, foram o PT, PSB, PSol, e PCdoB”, disse o presidente sobre o texto aprovado na quarta-feira 3. “Isso não é novidade para ninguém.”

O relator do projeto – e ex-comandante da Rota de SP, Capitão Derrite (PL) aboliu do texto todas as formas “saidinhas” concedidas pela Justiça brasileira para criminosos que encontravam nessa abominação do Direito Penal brasileiro ensejo para o cometimento de novos crimes ou para nunca mais se apresentarem ao sistema penitenciário. O texto aprovado na Câmara cria a obrigatoriedade que os presos passem a realizar o exame criminológico para a progressão de regime de pena e para a autorização de regime semiaberto e do uso da tornozeleira eletrônica esta última modalidade.

O projeto vai ao Senado Federal, que vai analisar as alterações dos deputados. E mesmo que seja aprovado pelo Senado e sancionado pelo Presidente da República, é um sério candidato a ser derrubado pelos militantes esquerdistas do STF, como Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), que durante uma live na internet em junho de 2021, afirmou ser contra a prisão de “pequenos traficantes”, em qualquer circunstância.

“ – Eu defendo a saidinha desde que entrei no tribunal, uma política de não prisão de pequenos traficantes.” “A política de prender meninos de periferia, geralmente primários, às vezes com bom antecedente, com cem gramas, meio quilo ou um quilo de maconha, ou tantas gramas de cocaína, joga ele na prisão, destrói a vida dele, sai pior do que entrou, o tráfico substitui ele no dia seguinte, não serve para nada”, declarou o esquerdista.