Plano de privatização da Eletrobras é aprovado pela TCU

Marcelo Camargo - Agência Brasil

Governo pretende concluir processo ainda neste semestre

Silvio Ferreira

A continuidade do processo de privatização da Eletrobras – pelo qual o governo federal pretende deixar de ser o acionista majoritário da companhia estatal do setor elétrico – foi aprovado pelo  Tribunal de Contas da União (TCU), por sete votos a um, nesta quarta-feira (18).

O novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida,
que visitou gabinetes de seis ministros do TCU nos últimos dias para sanar possíveis dúvidas e garantir apoio para autorização da privatização da estatal, chamou a votação no tribunal de um ‘Dia Histórico’.

O governo Bolsonaro aguardava o desfecho do julgamento do TCU para concluir a desestatização, que deve ser realizada por meio de um processo de capitalização, em que as ações da Eletrobras serão ofertadas na Bolsa de Valores, até que a União deixe de ser a controladora da empresa de energia.

Hoje o governo federal é o acionista majoritário da Eletrobras, com participação de 60% e pretende reduzir essa participação para, no máximo, 45%, ainda neste semestre, antes do início oficial do calendário eleitoral e das férias de verão no Hemisfério Norte, período de movimento menor de investidores na Bolsa.