PSDB, MDB e Cidadania ‘ejetam’ Doria e querem Tebet

João Doria e Simone Tebet (Divulgação)

Tucanos pretendem convencer ex-governador de São Paulo a desistir de candidatura

Silvio Ferreira

A “terceira via”, que pode sair do limbo – apenas teoricamente – com a escolha de um dos pré-candidatos do PSDB, MDB e Cidadania deve “ejetar” o ex-governador de São Paulo João Doria e apoiar a senadora sul-mato-grossense Simone Tebet, em uma eventual campanha para a presidência da República em outubro. A decisão das legendas, no entanto, precisa ser ratificada pelas executivas nacionais, o que  tem que ocorrer até a próxima terça-feira, 24. A informação é do jornal O Estado de S. Paulo.

João Dória, na prévia do PSDB que o indicou como candidato à presidência. (Amanda Perobelli/Agência Estado)

Insatisfeitos com a impopularidade de Doria em todo o país, tucanos querem o agora ex-governador de SP fora da disputa. Em reunião da legenda, em Brasília, na noite de terça-feira, 17, o deputado Aécio Neves (PSDB-MG) foi um dos que pediu que Doria desista da disputa, afirmando que sua candidatura é prejudicial para o PSDB.

Doria se manifestou nesta quarta-feira, 18. “O momento é de diálogo. O projeto de construção política deve priorizar o Brasil e o povo brasileiro”, disse o ex-governador paulista.

Seis por meia-dúzia
A eventual mudança não deve mudar a situação da terceira via, já que nas suspeitíssimas pesquisas de intenção de voto, a senadora sul-mato-grossense raramente supera o patamar dos 2%. Segue empatada, portanto, com a suposta “margem de erro das pesquisas.”

A realidade é que o palco para as eleições de outubro já está montado e a eleição será definida entre o presidente Jair Bolsonaro e um ex-presidiário “descondenado” por manobras dos “camaradas” do STF.

Os partidos da chamada “terceira via” não têm ninguém que possam indicar que tenha chances de disputar com Bolsonaro, mas precisam investir o dinheiro do fundo partidário para eleger o maior número de deputados federais e senadores.