Segundo deputado anuncia pedido de CPI do PCC e PT

Denúncias sobre financiamento do tráfico de drogas, ameaça de morte do delator, tortura e assassinato de Celso Daniel e chantagem contra Lula, foram publicadas na última sexta-feira

 

O deputado federal Carlos Sampaio (PSDB-SP) é o segundo deputado federal a anunciar a apresentação de um pedido de abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as denúncias de que o Partido dos Trabalhadores (PT) era financiado pela facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Na última sexta-feira, dia 1⁰ de julho, o deputado federal Filipe Barros (PL-SP), anunciou a mesma intenção nas redes sociais.

“Diante da gravidade das denúncias apresentadas pelo operador do ‘Mensalão’, Marcos Valério, e de muitos outros indícios, informo que segunda-feira vou pedir a abertura de uma CPI para investigar a relação criminosa entre o PT e o PCC. O Brasil precisa de respostas”, afirmou o parlamentar nas redes sociais.

O pedido deve ser apresentado ainda na noite desta segunda-feira.

“A união de brasileiros de bem é fundamental nesta luta contra a influência do crime organizado nos rumos do país! CPI JÁ”, escreveu.

‘Diálogo Cabuloso’

O esquema de lavagem do dinheiro do tráfico de drogas para financiar políticos do PT por meio de doações de campanha foi revelado em delação premiada pelo publicitário Marcos Valério, à Polícia Federal, que teve trechos publicados na edição da última sexta-feira, dia 1⁰ de julho, da revista Veja.

Ameaça de Morte

Condenado no processo do mensalão, a 37 anos de prisão, por ter sido o operador do PT no esquema de pagamento de propinas para parlamentares em troca de apoio para o governo Lula, Marcos Valério revelou que teria sido ameaçado pelo partido, ao ouvir do presidente do Instituto Lula, Paulo Sakamoto, que “gente nossa queria dar a você” [Marcos Valério], “o mesmo destino de Celso Daniel”, ex-prefeito de Santo André, torturado e assassinado em 2002.

Valério revelou que Celso Daniel foi assassinado porque planejava divulgar uma lista com os nomes dos petistas financiados pelo PCC.

Chantagem contra Lula

Nos trechos da delação citada pela reportagem, Marcos Valério ainda diz que um empresário do ramo dos transportes chantageava o então presidente Lula para não revelar o esquema de financiamento do PT com dinheiro do tráfico de drogas da facção criminosa.

Como funciona uma CPI

Para ser criada, uma CPI na Câmara dos Deputados precisa do apoio de 171 deputados federais e de um fato determinado, além do aval do presidente da Câmara, Arthur Lira (PL-AL) para a abertura da comissão.

Se for aberta, a comissão contará com poderes de investigação característicos do Ministério Público e de  autoridades policiais, como a realização de diligências; a condução de testemunhas para depor de forma coercitiva (obrigatória) e ainda a prerrogativa de quebrar o sigilo bancário e telemático (de telefonia e internet) dos investigados.

Se for mesmo criada, a comissão terá prazo de 120 dias, prorrogáveis por mais 60 dias, para concluir os trabalhos e apresentar um relatório final.