Suprema Corte dos EUA derruba direito ao aborto

Com decisão, 22 estados já anunciaram que reconhecerão aborto como crime

Sede da Suprema Corte dos EUA. (Divulgação)

A Suprema Corte dos Estados Unidos derrubou nesta sexta-feira, dia 24, a decisão de 1973 conhecida pelo caso Roe vs. Wade, que garantia desde 1973, que abortos – o assassinato de bebês ainda no ventre de suas mães – possam ser realizados antes que os bebês sejam viáveis fora do útero, entre 24 e 28 semanas de gravidez.

A maioria conservadora da Corte, com 6 votos, derrubou a jurisprudência do caso Roe vs. Wade, que foi defendida pelos votos dos 3 juízes esquerdistas da Corte.

Na decisão final, a Suprema Corte sustentou que a sentença do caso Roe vs. Wade não tem lastro na Constituição dos Estados Unidos.

A decisão, no entanto, não torna ilegal a interrupção forçada da gravidez, mas leva o país ao status vigente antes da sentença “Roe vs. Wade”, de 1973, quando cada estado era livre para legislar sobre a favor ou contra a interrupção da gravidez.

Com isso, 22 estados norte-americanos já anunciaram que criarão imediatamente legislações que reconheçam o assassinato de bebês ainda no ventre das mães como crime.

A decisão revolta a Imprensa esquerdista do Brasil e do Exterior.

O portal Appice.App louva a decisão da Corte norte-americana e convida leitores a algumas reflexões jurídicas e espirituais em defesa da vida.