Terremoto de 6,1 graus deixa mais de 950 mortos no Afeganistão

Afegãos em meio ãs ruínas depois dos terremotos desta quarta. (Foto: Marca World News)

Afegãos em meio ãs ruínas depois dos terremotos desta quarta. (Foto: CFP)

Com informações R7/AFP

Mais de 950 pessoas morreram e pelo menos 600 ficaram feridas após dois terremotos atingirem o sudeste do Afeganistão nesta quarta-feira, dia 22 de junho. Os tremores foram sentidos em várias províncias da região e também na capital, Cabul, a cerca de 200 km ao norte do epicentro do terremoto.
segundo autoridades afegãs.

Infográfico: DW

Acredita-se que o número de mortos é maior do que o divulgado neste que é o pior terremoto enfrentado pelo país desde 2002.

(Foto: CFP)

“O número de mortos deve aumentar, já que algumas vilas estão em áreas remotas nas montanhas e leva-se algum tempo para coletar detalhes”, disse Salahuddin Ayubi, ministro do Interior do governo afegão nesta quarta-feira.

Foto: Bakhtar News

O primeiro terremoto –  de magnitude 6,1 –  ocorreu a uma profundidade de 10 km, por volta de 1h30 desta quarta-feira, perto da fronteira com o Paquistão, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS).

O segundo – de magnitude 4,5 –  sacudiu outra região próxima ao mesmo tempo, de acordo com o USGS. Segundo Yaqub Manzor, um oficial tribal de Paktika, muitos dos feridos vieram do distrito de Giyan e foram transportados por ambulâncias e helicópteros.

Resgate de feridos em região afegã atingida por terremotos.(Foto:CFP)

O Afeganistão sofre frequentemente com terremotos, especialmente no maciço de Hindu Kush, que abrange o Afeganistão e o Paquistão, que está localizado na junção das placas tectônicas da Eurásia e da Índia.

Essas catástrofes podem ser especialmente devastadoras devido à fraca resistência das casas rurais afegãs. Em outubro de 2015, um poderoso terremoto de magnitude 7,5 sacudiu as montanhas Hindu Kush, causando um total de mais de 380 mortes nos dois países.