TSE censura Jovem Pan por entrevista que associa Lula a caso Celso Daniel

Lula (esq) e Celso Daniel, nos tempos em que eram amigos Foto Reprodução-GloboPlay

Senadora Mara Gabrilli disse que o ex-presidente pagou R$ 12 milhões pelo silêncio de testemunha que o aponta como mandante da morte do ex-prefeito

Revista Oeste

A ministra Maria Cláudia Bucchianeri, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), censurou a Jovem Pan por uma entrevista com a senadora Mara Gabrilli (PSDB-SP), em que a tucana associa Lula à morte do ex-prefeito de Santo André (SP) Celso Daniel. A decisão foi proferida na quinta-feira 6.

A Jovem Pan foi afetada, em virtude de uma decisão do TSE para remover vídeos que ligam Lula ao caso. A ordem judicial se estende a conteúdos com o mesmo teor publicados por outros perfis no Twitter, no TikTok e Facebook.

Ao recordar o assassinato do ex-prefeito, Mara disse que, se o ex-tesoureiro do PT Ronan Maria Pinto não fosse pago, entregaria Lula como mentor do caso Celso Daniel. “Lula pagou R$ 12 milhões da chantagem para o Ronan Maria Pinto ficar quieto”, disse Mara, em entrevista à filial da emissora em Bauru (SP). “O Ministério Público de São Paulo acabou por encobrir o caso na época.”

Segundo a ministra Maria Cláudia, a entrevista trata de um “tema que não é novo”. “Isso porque o referido conteúdo já foi tido por este TSE como desinformativo, além de violador da imagem do candidato”, argumentou.

“É de conhecimento público e notório que o assassinato do ex-prefeito Celso Daniel é um caso encerrado perante o Poder Judiciário, com os responsáveis devidamente processados e julgados, estando cumprindo pena”, sustentou a magistrada, ao mencionar que a investigação foi encerrada definitivamente. Conforme Maria Cláudia, não houve envolvimento do PT e de seus membros.”