TSE determina remoção de posts de Lula com boné do CPX

Lula e o ator Diego Raymond, com histórico de envolvimento anterior com o narcotráfico no Complexo do Alemão Reprodução Redes Sociais

Decisão do Ministro visa a “redução de danos” à campanha do petista que subiu o Complexo do Alemão – dominado pelo narcortráfico – no dia 12 de outubro, sem proteção policial

Cristyan Costa – Revista Oeste

Lula, durante caminhada no Complexo do Alemão, com boné polêmico usado por narcotraficantes | Foto: Carlos Elias Junior/FotoArena/Estadão Conteúdo

 

O ministro Paulo de Tarso Sanseverino, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), determinou que um post das redes sociais sobre o boné de Lula com as iniciais CPX – usado pelo candidato do PT, durante uma visita ao Morro do Alemão, no Rio – seja excluído. A decisão ocorreu na segunda-feira, dia 24 de outubro.

A postagem havia sido replicada nas redes sociais pelo senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), da deputada Carla Zambelli (PL-SP) e do vereador Nikolas Ferreira (PL-MG). O Twitter tem cinco horas para acatar o TSE, sob pena de pagar multa de R$ 50 mil.

“ – É forçoso reconhecer que a propagação desses conteúdos, sem nenhum respaldo probatório, tem o potencial de interferir negativamente na vontade do eleitor”, argumentou o ministro Sanseverino.

O “CPX”, entendido como abreviação para “complexo”, refere-se de fato aos conjuntos das favelas cariocas, conforme reportagem de Oeste. O termo é usado pelos moradores locais, pela polícia e pelo governo. A sigla aparece na Lei de Diretrizes Orçamentárias para 2023 do Estado do Rio de Janeiro.

A sigla do boné CPX de Lula também é usada entre os bandidos, segundo decisões proferidas por juízes de segunda instância. Um documento do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, por exemplo, mostra que “CPX” significa “cupincha”.