TSE pode impugnar Bolsonaro nesta véspera do 7 de Setembro

Relator do pedido de registro de candidatura de Bolsonaro é Alexandre de Moraes. Brasil precisa estar de prontidão para a possibilidade de que togado lance o país em uma Guerra Civil se tentar estuprar mais uma vez a Constituição e cometer a insanidade suicida de impugnar a candidatura do Presidente da República mais popular da História do Brasil

 

Missão suicida

Por absurda que possa parecer, a hipótese não saiu de uma mente que padeça de algum tipo de delírio-paranoide, mas da boca de ninguém menos do que Marco Aurélio Mello, ex-integrante do Supremo Tribunal Federal (STF).

Em entrevista ao Jornal da Gente, da rádio Bandeirantes, no dia 3 de agosto de 2022, o ex-togado foi questionado pelo comentarista Cláudio Humberto sobre a informação de que a maioria dos integrantes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cogitam impugnar à candidatura à reeleição do Presidente Jair Bolsonaro.

‘TSE incendiará o País se impugnar Bolsonaro’

Segundo Marco Aurélio, o TSE “incendiará o país”, se impugnar a candidatura à reeleição do Presidente Jair Bolsonaro.

“- Incendiaria o país […] Não vejo motivo para o indeferimento do pedido de registro. Quais fatos levariam a isso? A meu ver, não há nada que possibilite”, afirmou o ex-ministro durante a entrevista.

O ex-ministro Marco Aurélio Mello: “Negar o registro a Bolsonaro incendiaria o País!”

O relator do pedido de registro de candidatura de Jair Bolsonaro será Alexandre de Moraes – opositor declarado do Presidente, cuja suspeição para ocupar a presidência do TSE durante às eleições de 2022 vem sendo apontada há muito tempo por alguns dos maiores juristas do Brasil, como Ives Gandra Martins.

Dada a lista de inumeráveis violações da Constituição Federal cometidas pelos atuais integrantes do TSE e STF – principalmente por Alexandre de Moraes -, por mais absurda que esta hipótese possa parecer, a população brasileira precisa estar de prontidão para mais um desatino de Moraes. A ação seria uma medida desesperada e suicida de Moraes e dos demais togados do TSE liderados por ele, que podem sim, lançar mão de algum argumento inconstitucional para impugnar a candidatura do Presidente Jair Bolsonaro.

Alexandre de Moraes | Foto SCO STF

Julgamento do Registro da Candidatura de Bolsonaro

O início do julgamento do pedido de registro de candidatura do Presidente Jair Bolsonaro está previsto para às 19h desta terça-feira, dia 6 de setembro, na véspera do Bicentenário de Independência do Brasil. A sessão será transmitida ao vivo pelo canal do TSE no YouTube.

O Plenário vai examinar as documentações exigidas pela lei para a validação da candidatura do Chefe da Nação, que vai concorrer à reeleição tendo como vice o general Braga Netto, ex-ministro da Defesa e da Casa Civil e interventor federal no Rio de Janeiro, durante a gestão de Michel Temer.

Golpe comunista quer instaurar democracia sem Povo 

O cenário é desesperador para a Esquerda do País que criou um mundo de ficção, de “pós-verdade socialista”, por meio de empresas de pe$qui$a$ enterradas até o pescoço em conflitos de interesse (financiadas, em sua quase totalidade, por instituições financeiras e empresas de Comunicação que deixaram de faturar bilhões nos três anos de governo Bolsonaro). Mas a farsa da liderança do ex-presidiário petralha nas pe$qui$a$ não se sustenta.

Condenado por corrupção em três instâncias por mais de dez juízes e desembargadores e “descondenado” em um malabarismo escandaloso e monocrático de um togado que é ex-advogado do PT e foi cabo eleitoral de Dilma Rousseff, o ex-presidiário não pode sair às ruas sem despertar a ira e a hostilidade de brasileiros honestos, enojados com o fato de que um notório corrupto, ao invés de estar preso, está livre para comandar a organização criminosa travestida de partido político que saqueou o país durante 13 anos, e ainda concorrer à Presidência da República, onde pretende “retornar à cena do crime”.

O líder de organização criminosa – segundo delação premiada do ex-operador do esquema criminoso do Mensalão do PT, Marcos Valério, homologada pelo próprio  STF – tem estreita relação com a maior facção do crime organizado do País, o Primeiro Comando da Capital (PCC). Algo que um togado – que se arroga a posição de Imperador do Brasil – quer censurar.

Talvez porque a proibição constitucional da censura no Brasil tenha sido revogada, ou a liberdade de Imprensa tenha sido restrita apenas a órgãos da Velha Imprensa Vermelha, que compactuem com a tomada do poder por uma quadrilha que o vai instaurar uma narcoditadura cubana-venezuelana no Brasil.

Togados e Velha Imprensa Vermelha podem tentar um último ato desesperado 

A maioria do povo brasileiro reserva o devido desprezo para os togados militantes marxistas e para a Velha Imprensa mercenária. E a probabilidade de que as Forças Armadas consigam neutralizar uma tentativa de golpe nas urnas eletrônicas só faz aumentar o desespero da Esquerda.

Mesmo que a farsa da liderança nas pe$qui$a$ seja repetida como um mantra pela Imprensa prostituta de comunistas do País, ela é desmascarada diariamente pelo Povo nas ruas, que mobiliza milhares de patriotas ao redor  de Bolsonaro, aonde quer que ele vá.

A realidade das ruas grita que a vitória e a reeleição de Bolsonaro serão inevitavelmente confirmadas, já que ninguém com mais de dois neurônios em funcionamento – e com uma gota de honestidade e caráter – pode fingir não ter consciência de que é virtualmente impossível vencer Bolsonaro sem que as “urnas tenham vontade própria” – como sacramentou o excepcional jornalista e escritor Guilherme Fiuza.

Presidente Jair Bolsonaro em parada no município de Toritama, Agreste de Pernambuco, durante motociata | Foto: Marcos Corrêa/PR

Golpe comunista em andamento no Brasil

Neste cenário desesperador para a Esquerda brasileira, se a maioria comunista do tribunal da “República Democrática da Coreia do Norte” levar a cabo a insanidade de impugnar a candidatura do mais popular Presidente da República da História do Brasil, sem nenhuma base constitucional, o gesto tresloucado terá concretizado um golpe comunista no Brasil. E as consequências serão previsíveis. E justificáveis.