TSE suspende direitos de resposta de Bolsonaro na propaganda de Lula

Plenário da Corte Eleitoral julga decisões da magistrada sobre inserções que seriam concedidas a Lula na propaganda de Bolsonaro | Foto: Reprodução/ YouTube

Suspensão vale até que o plenário analise a decisão original da magistrada

Revista Oeste

 

A ministra Maria Claudia Bucchianeri, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), acatou um pedido feito pela campanha de Lula (PT), candidato à Presidência, para suspender os direitos de resposta concedidos ao presidente Jair Bolsonaro (PL) no programa eleitoral do petista.

A suspensão vale até que o plenário da Corte Eleitoral analise a decisão original da magistrada, que havia concedido inserções ao chefe do Executivo. Ainda não existe uma data para que isso ocorra. Maria Claudia suspendeu duas decisões proferidas por ela mesma na quinta-feira 20.

Ela havia concedido direitos de resposta ao presidente por propagandas da campanha de Lula que o associavam a milícia, aborto, tráfico e corrupção. Na primeira decisão, a ministra deu o direito de resposta de 2 minutos e 8 segundos na propaganda do ex-presidente. A resposta deveria ser colocada logo no início da propaganda no período diurno.

Plenário do TSE julga direitos de resposta de Lula

O plenário da Corte Eleitoral julga neste sábado, dia 22 de outubro, as decisões da magistrada referente às inserções que seriam concedidas a Lula na propaganda de Bolsonaro. Na quarta-feira 19, Maria Claudia concedeu o direito de resposta do petista em 164 inserções do presidente (rádio e TV). No entanto, na quinta-feira 20, a ministra recuou e suspendeu a liminar dela mesma, retirando o direito de resposta de Lula na campanha de Bolsonaro.