Virologista denuncia que covid-19 foi criado em laboratório pela China e OMS acobertou

Virologista denuncia que covid-19 foi criado em laboratório, OMS sabia e que teve que fugir após ameaça da ditadura comunista chinesa

Li-Meng Yan, médica chinesa PhD em virologia e imunologia pela Escola de Saúde Pública de Hong Kong, afirma que o novo coronavírus é um experimento do Instituto Militar da China, produzido em laboratório controlado pela ditadura do Partido Comunista Chinês, em Wuhan.

Segundo a PhD, há comprovação da origem do vírus no genoma do microorganismo. A ditadura comunista chinesa sabia antecipadamente do potencial de propagação do vírus e tem tentado acoberta as informações.

As declarações foram feitas em 11 de setembro, durante entrevista concedida pela internet a partir de local não informado, ao programa britânico “Loose Woman”. A virologista afirma que precisou fugir para os Estados Unidos depois de descobrir a operação do Partido Comunista Chinês para abafar as descobertas que fez sobre a covid-19 em duas pesquisas feitas na China, entre 1º de dezembro de 2019 e janeiro deste ano, e na 2ª, em meados de janeiro.

De acordo com a PhD em virologia e imunologia, “o vírus não é da natureza”, mas a modificação laboratorial de 2 organismos, batizados de CC45 e ZXC41, que teriam originado o Sars-Cov-2 (covid-19).

“A sequência do genoma é como a impressão digital humana. Com base nisto, se pode reconhecer e identificar esta coisa. Utilizei as provas existentes na sequência do genoma de Sars-CoV-2 para explicar às pessoas que isto veio da China”, explicou.

Yan denunciou que os resultados foram compartilhados com o supervisor da pesquisadora, que é consultor da Organização Mundial da Saúde (OMS) e que esperava que o supervisor fizesse “a coisa certa em nome do governo chinês e da OMS”, mas, para sua surpresa, foi ameaçada para “manter o silêncio ou então seria ‘obrigada a desaparecer’ “.

Li-Meng declarou que os dois estudos com as constatações sobre a origem artificial do coronavírus na China serão publicados em breve e que já está conduzindo uma nova pesquisa juntamente com cientistas do mundo todo.

Nas entrevistas, Li-Meng tem anunciado que publicará um artigo com as evidências científicas que comprovam as alegações.

“Há dois relatórios, o primeiro virá dentro de alguns dias e informará as pessoas sobre as provas científicas. Qualquer pessoa, mesmo aqueles sem qualquer conhecimento de biologia, poderá lê-lo.”

Em nota enviada ao programa “Loose Woman”, a ditadura chinesa refutou as declarações de Li-Meng, alegando que a China atuou imediatamente para tentar impedir a propagação do vírus.

Posteriormente, as denúncias foram reiteradas em vários veículos de comunicação nos EUA, entre eles, o programa de entrevistas da Fox News*.